<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
24 jun 2021

3 erros cometidos ao identificar comportamentos atípicos no ambiente de nuvem

O cenário atual é de transformação digital, cuja tendência é que pequenas empresas e grandes corporações sigam adotando a tecnologia do desenvolvimento na nuvem para seus sistemas. Com isso, é fundamental que a equipe de TI seja orientada a manter o alto nível de proteção e monitoramento de vulnerabilidades.

Isso porque há várias questões que podem tornar esse contexto desafiador, como o grande volume de dados analisados diariamente, ameaças constantes e a necessidade de suportar ininterruptamente as operações.

Nesse sentido, preparamos esse material para auxiliar você a descobrir os erros mais comuns que são cometidos quanto à identificação de comportamentos atípicos do desenvolvimento na nuvem. Continue acompanhando e boa leitura!


Principais erros ao detectar anomalias no desenvolvimento na nuvem

Adotar a transformação digital é uma medida inteligente e estratégica para todos os tipos de negócios que buscam estar à frente da concorrência e criar diferenciais. Assim, podem melhorar os processos internos, tornando-os mais eficientes e produtivos. Nesse sentido, a migração para o desenvolvimento na nuvem também cresce!

Um dos principais desafios desta tecnologia é justamente garantir a segurança dos dados armazenados em relação ao processo de cloud computing. Isso porque, muitos cibercriminosos buscam oportunidades para obter informações que possibilitem cometer fraudes e diversos outros ataques virtuais.

O relatório The State of Cloud Security 2020 evidenciou que sete a cada dez empresas já foram vítimas de algum tipo de ataque cibernético em serviços de nuvem pública. Ainda segundo esse estudo, 66% desses fenômenos foram providos de falhas ou brechas nas configurações nos serviços em cloud computing. 

Abaixo, veja os erros mais comuns que podem ser cometidos ao detectar uma anomalia no desenvolvimento na nuvem.

  • Quantidade grande de dados a serem analisados 

Com grande demanda dos usuários, seja no setor de varejo, finanças ou serviços, as empresas precisam processar grandes volumes de dados de uma ampla variedade de fontes. 

Isso pode ser muito desafiador e oferecer riscos à segurança se não for uma ação com estratégia organizada, podendo, inclusive, gerar ruídos e até falsos positivos.

A necessidade de análise e tratamento de dados exige pensar em estratégias desde o armazenamento, gerenciamento até a mobilidade. Por isso, é importante contar com a automação de processos e soluções capazes de contribuir com essa etapa, de forma eficiente e bem arquitetada. 

  • Demora na identificação de falhas 

Muitas empresas são surpreendidas por vazamentos ou ataques por não contarem com tecnologia preditiva que identifica comportamentos atípicos no sistema, por menor que seja. Isso gera atraso na identificação de falhas e brechas no processo de desenvolvimento na nuvem.

A aplicação preditiva tem a capacidade de apontar possíveis erros, conferindo a segurança e gerando resultados analíticos. É um procedimento que possibilita tornar a atuação em cloud computing mais assertiva e segura, o que contribui para a solução dos problemas encontrados com mais eficácia e agilidade também.

  • Não contar com políticas para detecção de comportamento anormal

É normal que equipes, em muitos casos, com pouco tempo e muita demanda precise priorizar certas ações. No entanto, não dar atenção à criação de uma política focada nesse ponto pode resultar em portas abertas a ameaças no desenvolvimento na nuvem.

Por isso, é importante criar políticas de detecção de anomalias que sejam capazes de oferecer recursos para análises comportamentais. As anomalias podem ser identificadas no monitoramento das atividades do usuário, sendo necessário que os riscos sejam avaliados.

Vulnerabilidades mais comuns em 2021 para ficar atento

Desde que a adoção do desenvolvimento na nuvem passou a ser visada em várias organizações, cresceu também o número de ameaças virtuais. Dentre as práticas mais comuns que podem ser encontradas e merecem atenção estão:

  • Roubo de conta: trata-se de uma ameaça à nuvem que foca em sequestrar credenciais das contas de usuários. Inclusive, foi classificada como quinto lugar na lista de vulnerabilidades do cloud computing pelo CSO em 2020;
  • Violação de dados: é um ataque que resulta na perda, destruição, alteração ou divulgação de dados por meio de acesso não autorizado. Isso impacta negativamente a reputação da empresa e afeta a confiabilidade entre parceiros e clientes da organização;
  • Ameaças internas: diz respeito aos usuários envolvidos com a corporação, podendo ser funcionários antigos e novos, parceiros, clientes ou pessoas que podem acessar o sistema. Mesmo que não tenham intenção maliciosa, podem causar danos por negligência, por exemplo;
  • Falha nas estratégias adotadas: a adoção de estratégias falhas é uma questão que normalmente acaba afetando a segurança e causando problemas, como tratamento impróprio de erros, monitoramento insuficiente, falta de controle sobre as atualizações, entre outros.

Por fim, saiba que é preciso se manter atento a essas questões para garantir o alto nível de proteção e monitoramento de vulnerabilidades no desenvolvimento na nuvem. 

É preciso, inclusive, ser capaz de apontar antecipadamente as possíveis ameaças e problemas. Isso porque quanto mais rápido for a identificação, mais chances de obter uma melhor resposta, com menos tempo e maior redução de custos, o que garante a qualidade dos serviços.

NEC Report LGPD

Nova call-to-action

Subscreva aqui!