<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
12 jul 2022

Transformação digital no setor financeiro: o futuro acontecendo hoje

Com a aceleração da transformação digital exigida pela pandemia nos anos anteriores, o setor financeiro é um dos que mais vem trazendo evoluções para consumidores e empresas

Uma das consequências mais diretas e notáveis das restrições de circulação e contato pessoal ocasionadas pela pandemia em 2020 e 2021 foi o rápido crescimento de inovações digitais para facilitar e dinamizar a interação remota entre empresas e seus clientes. Isso representou um salto tecnológico considerável, efetivamente trazendo o futuro para o presente e criando um novo paradigma em termos de consumo de serviços financeiros.

Assim, é interessante compreender este processo até o momento para conseguir antecipar as próximas grandes mudanças e melhorias que este setor deve trazer, permitindo que seus players se preparem para andar à frente da acentuada curva de inovação.

O futuro, hoje

As empresas do setor financeiro, tradicionalmente, investem em tecnologia por diversos motivos, desde a otimização operacional e integração de suas agências e correspondentes, passando pela segurança dos sistemas e chegando à interação com clientes. Naturalmente, em um momento onde a busca por inovações constantes é universal, este mercado em particular, vem trazendo grandes novidades, não só nas empresas tradicionais e líderes do setor, mas também nos novos concorrentes – em sua maioria, fintechs.

Este novo modelo de negócios trazido por elas é fortemente baseado no digital, com foco nas necessidades e preferências do público atual, que busca agilidade, praticidade e uma experiência intuitiva e fluida em seus canais de contato com o fornecedor. Por conta disso, os players tradicionais enxergaram a necessidade de mudança e começaram a investir em novas tecnologias, reimaginando as maneiras de interagir com seus públicos e mantendo-se ativos na concorrência no cenário atual. Exemplos das inovações trazidas ao público em tempos recentes não faltam:

  • Banco Inter: um dos primeiros bancos totalmente digitais do Brasil, destacou-se por não cobrar tarifas bancárias e teve um crescimento da carteira de clientes muito acima do projetado. Hoje oferece inúmeros serviços dentro do app, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, e vem passando por um grande processo de internacionalização, com atuação nos EUA e planos de atuar na Europa.
  • Banco BV: líder em financiamento de carros, busca tornar a plataforma do banco aberta e assim, formando parcerias para benefício do consumidor final, que pode desfrutar de serviços além do financiamento de veículos, já pensando em aproveitar o dinamismo proporcionado pelo Open Banking
  • Bradesco: o banco tradicional migrou para o mundo digital. Além de contar com o Next também tem a plataforma de investimentos Ágora, o internet banking Digio e a carteira digital Bitz. O Bradesco tornou-se referência em smart banking, unindo inovação e segurança. Esses produtos atendem a diversos perfis de consumidores, que buscam este dinamismo, enquanto mantém a solidez financeira do Bradesco por trás da operação.

Os caminhos da inovação

Embora amplamente difundido, o conceito de “inovar” varia muito de acordo com o mercado, sendo influenciado por fatores como maturidade tecnológica, grau de concorrência, demanda de clientes, localização geográfica e outros. Diante disso, além de conhecer as iniciativas, é necessário compreender as formas pelas quais a inovação chega ao mercado financeiro. Os exemplos a seguir trazem uma ilustração interessante dos principais recursos utilizados pelas empresas do ramo:

  • IA e analytics: tanto para melhorar o atendimento quanto para oferecer produtos mais assertivos, a adoção de inteligência artificial e ferramentas de análise é decisiva para que as empresas tenham uma visão clara e fidedigna do seu panorama operacional. Com elas, as fintechs e os bancos conseguem adaptar melhor suas estratégias, antecipar tendências e gerar uma experiência mais positiva para seu público.
  • Plataformas verticais: a fim de atender aos clientes hiperconectados, as instituições lançam aplicativos e plataformas completas; na prática, isso significa que os consumidores conseguem realizar diversas operações e contar uma uma ampla gama de serviços sem necessidade de acessar qualquer outro canal, ganhando tempo e praticidade.
  • Open finance: trata-se, muito resumidamente, da transmissão de dados financeiros de uma instituição para outra. Pode parecer simples, mas este recurso coloca o cliente no controle de seus dados, permitindo que ele consuma serviços de diversas instituições, sem ficar preso a uma só. Isso é um importante estimulador da concorrência no setor, que tende a ganhar serviços cada vez mais profissionais e bem executados.
  • Biometria e reconhecimento facial: a cibersegurança é uma preocupação e prioridade aos bancos, que investem muito para manter a proteção dos dados. A biometria ajuda a reduzir fraudes ao mesmo tempo em que traz mais praticidade para os clientes, que se livram das senhas que precisam ser cada vez mais longas e complexas.
  • IoT: as pulseiras e cartões digitais (armazenados nos próprios smartphones) já são uma realidade e ficarão ainda mais fortes, seguindo a tendência de fortalecimento da mobilidade.
  • Treinamento da equipe e retenção de talentos: as empresas estão investindo em treinamentos diversos para capacitar seus times de profissionais, provando que a tecnologia e o trabalho humano operam em conjunto.  A contratação de profissionais capacitados nas áreas de TI e ciência de dados, sobretudo remotamente, também vem crescendo, conforme a demanda por IA, analytics e outros recursos aumenta.

Open Finance: a próxima grande etapa da evolução

Como mencionado anteriormente, a Open Finance é uma prática que já existe em outros países desenvolvidos e que vem sendo implementada no Brasil desde fevereiro de 2021. A partir da implantação deste dispositivo, clientes de bancos, fintechs e outras instituições financeiras passam a ter a opção de disponibilizar dados financeiros, a seu critério, para outras instituições. Com isso, é possível receber ofertas de serviços especializados de acordo com seu perfil, montando, assim, um portfólio de soluções ajustado à sua necessidade.

Segundo especialistas, este movimento é o grande passo do momento para a modernização do ecossistema financeiro. Em um encontro recente, organizado na Japan House em São Paulo, a opinião de diversos gestores de grandes empresas do setor confirmam esta tendência: “tem uma revolução silenciosa acontecendo, que é o open finance”, afirmou Jimmy Lui, Superintendente de Estratégia Digital e Inovação do Banco BV. Similarmente, Tiago Machado, Diretor de Produtos Digitais do Banco Inter, comentou que  “os dados não são das instituições, são dos clientes”. Já para Cíntia Barcelos, diretora de tecnologia do Bradesco, “de nada adianta ter toda essa jornada fluida, personalizada, se a gente não tem resiliência e segurança” Milton Rodrigues Júnior, diretor de negócios da NEC Brasil ressalta que “os provedores de tecnologia devem se posicionar como um terceiro elemento para auxiliar na tomada de decisões e disponibilizar sua estrutura de pesquisa e desenvolvimento para melhorar a experiência do usuário final”.

Este novo momento do mercado bancário é mais um aspecto impactante da transformação digital, na medida em que os novos recursos, dentro de um ambiente conectividade mais rápida, estável e ampla, permitem trazer novas opções de relacionamento e interação para o mercado.

Os benefícios e vantagens da transformação digital no setor financeiro

Uma das mais notáveis características da transformação digital é o fato de que ela tende a produzir um impacto multilateral, afetando em níveis variados todas as entidades e grupos no ecossistema. Para o setor financeiro, isso significa que tanto bancos, fintechs e outras empresas do ramo quanto consumidores puderam observar melhorias em suas atividades, assim como na interação entre eles. Para as instituições financeiras, os principais benefícios foram:

  • Relacionamento mais próximo com o cliente: por meio de apps inteligentes e desenvolvidos para gerar uma UX de alto nível, o relacionamento com o cliente se tornou mais fácil, rápido e efetivo, proporcionando maior satisfação
  • Menor taxa de abandono e insatisfação:, os usuários tendem a ter mais fidelidade com as instituições e demonstrar mais contentamento com o serviço oferecido
  • Maior facilidade e incentivo para investir: ferramentas inteligentes e intuitivas ajudam a simplificar o entendimento de investimentos e estimulam a atividade, assim como interfaces melhores tornam a experiência mais amistosa e atraente.

Similarmente, os clientes vêm aproveitando vantagens como:

  • Mobilidade na gestão das finanças: o que antes exigia uma ligação telefônica ou mesmo acesso via computador, em sites pouco amigáveis e muitas vezes lentos, agora pode ser feito de forma fácil e ágil por apps no celular, melhorando o serviço oferecido
  • Autonomia e liberdade na escolha: com o Open Banking, o cliente bancário tem uma gama de escolha sem precedentes, podendo montar seu serviço bancário ideal sem dificuldades, com controle de seus dados e sem burocracia
  • Atendimento e oferta de produtos personalizados: outra excelente consequência do Open Banking é o fato de que as ofertas enviadas pelos bancos são mais ajustadas e mais relevantes para a realidade presente do cliente, que pode aproveitar melhores condições e taxas para suas operações.

Apoiando o futuro

Como se vê, a transformação digital ajudou a revolucionar o setor financeiro, com inovações mudando o jeito de se fazer negócios e consumir serviços neste mercado. A melhor parte é que tudo isso representa apenas o início de muitas melhorias que ainda vão surgir e ajudar a trazer mais dinamismo para o segmento e ajudar a fortalecer ainda mais este segmento.

Seguindo sua longa história de inovação, excelência e tecnologia, a NEC se orgulha de desenvolver e disponibilizar soluções avançadas e especializadas para as empresas do ramo, agregando inteligência, agilidade e confiabilidade para suas operações. Assim, seguimos comprometidos em ajudar a trazer ainda mais vantagens e benefícios para empresas e consumidores.

Assine aqui!