<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
07 dez 2020

NTT e NEC se unem para estruturar redes 5G avançadas e construir um futuro digital, inovador e colaborativo

As duas empresas japonesas de tecnologia firmaram parceria, recentemente, para ampliar sua competitividade e atender às demandas do novo mundo digital. Para isso, pretendem construir uma infraestrutura robusta, eficiente e segura de redes ópticas e wireless (IOWN) a fim de massificar o acesso ao 5G, com o apoio de outros players de TI e Telecom

A NTT e a NEC participaram de um painel de debate no fórum NEC Visionary Week, mediado por Kenji Neonaka, sócio sênior da Mckinsey & Company, no qual seus executivos detalharam a parceria firmada, em junho deste ano, para oferecer redes avançadas para 5G e, no futuro 6G, a fim de contribuir para transformar o mundo, tornando-o mais digital, inovador e colaborativo.

Naoki Shibutani, vice-presidente executivo sênior e representante do Conselho da NTT Corporation, que comanda a área de tecnologia da empresa, disse que, há alguns meses, os presidentes das duas grandes corporações japonesas têm conversado sobre como poderiam trabalhar juntos em diferentes frentes. Nestas conversas, concluíram que um dos motivadores para a parceria é o fato Japão ser hoje o 27º. colocado no Ranking de Competição Global e os investimentos do país em pesquisa e desenvolvimento (P&D) não serem tão agressivos quanto os dos GAFA globais (sigla que reúne Google, Amazon, Facebook e Apple).

“Mas a área de P&D é estratégica para os negócios das duas companhias e a participação na disseminação do 5G crucial, pois é uma tecnologia que mudará o mundo no qual vivemos. A NEC, por exemplo, tem só 2% do mercado global de 5G, que é uma prioridade para eles e para nós. Queremos e precisamos ser mais competitivos diante dessa oportunidade, mas estamos em uma situação desafiadora e unidos temos mais força para competir”, afirma Shibutani.

A parceria foi viável porque a NEC e a NTT, já tinham uma boa relação comercial antes e enxergaram uma oportunidade de trabalharem juntas em prol de objetivos-comuns. “A NTT tem uma ampla capacidade de investimentos em P&D, o que é raro para uma empresa de telecomunicações. Um exemplo disso é a iniciativa Innovative Optical and Wireless Network (IOWN), que converge tecnologias fotoelétrica (fotônica + eletrônica), que é uma tecnologia vital para o futuro, se considerarmos velocidade e custos. Porém, para operacionalizar e inserir essa tecnologia em um produto ainda existem obstáculos, que podem ser superados se unirmos a capacidade de pesquisa da NTT com a experiência de 120 anos da NEC no desenvolvimento de produtos confiáveis e de alta qualidade”, esclarece Takayuki Morita, vice-presidente executivo sênior, CFO e membro do conselho da NEC Corporation. 

Essa percepção faz todo sentido na competição por um gigantesco mercado global criado pelo 5G, que impactará não só o setor de telecomunicações, mas revolucionará a indústria e a sociedade digital. Os objetivos e metas recíprocos têm feito as equipes das duas empresas trabalharem em sinergia para mudar o atual cenário mercadológico agora, enquanto a revolução do 5G está apenas começando, com investimentos em redes com arquiteturas abertas, virtualização e soluções de software na nuvem. “Acredito que com nossas capacidades tecnologias combinadas, podemos nos adiantar à concorrência e mudar o jogo”, destaca Shibutani.

Morita, que já foi anunciado pela organização como o CEO e presidente da NEC a partir de 1° de abril de 2021, concorda e acrescenta que a parceria gerará as mudanças e os resultados esperados por ter uma perspectiva de longo prazo bem-estruturada, com propósitos e temas de sinergia definidos. “Afinal, não é só oferecer banda larga. A chave está em ofertar conectividade múltipla e reduzir latência para desenhar um novo futuro. Até agora era só oferecer uma rede robusta para usos sofisticados de smartphones. Mas várias coisas passaram a ser intrinsecamente conectadas no futuro, gerando desafios técnicos significativos, com o uso mais intensivo de realidade virtual e aumentada, automação, educação on-line, carros autônomos, cidades inteligentes, etc”, acredita o vice-presidente da NEC. 

Na opinião de Morita, no futuro, todas as atividades humanas estarão vinculadas a uma identidade digital e, de alguma forma, conectadas a uma rede wireless, o que exigirá conhecimentos profundos, obtidos com grandes volumes de dados trafegando e sendo analisados praticamente em  tempo real. Ou seja, o mundo será cada vez mais virtual. 

Shibutani adiciona que falar em 5G ou 6G significa gerir múltiplos sensores IoT e um ambiente digital totalmente integrado em favor da sociedade. “No futuro será necessário fazer previsões sobre aspectos diversos da vida cotidiana e agir para obter soluções usando TI e atuar sobre várias outros fatores que hoje nem imaginamos”, reflete o vice-presidente da NTT Data. 

Diante deste contexto, o volume de dados a ser processado e analisado tende a ser 100 vezes maior daqui há 15 anos, ampliando-se em 10 vezes este volume até 2050, demandando datacenters com infraestruturas robustas, sofisticadas e absolutamente seguras, pois praticamente tudo estará na nuvem. Essa gigantesca quantidade de dados, exigirá muita inovação das operadoras de telecomunicações. “Por isso, NEC e NTT estão trabalhando juntas em uma nova geração de redes wireless e fixa, ou seja, na tecnologia IOWN, com o desenvolvimento de uma estrutura gigantesca de tecnologia e comunicações em uma área 10 vezes maior do que o tamanho atual da rede japonesa, que tem 4,5 milhões de quilômetros”, explica Shibutani. Isso será possível usando redes de fibra ótica, satélites e drones, entre outras, para criar um grande e eficaz ecossistema de telecomunicações.

De acordo com Morita, da NEC, o IOWN é outra forte razão para a parceria das duas gigantes japonesas, que querem encorajar e engajar outras empresas ao redor do mundo a participar desse grande projeto 5G. O Open RAN (Redes Abertas de Acesso por Rádio), alternativa tecnológica fortemente apoiada pelas duas companhias, propiciando interoperabilidade entre as diferentes operadoras regionais e vendors, foi destacado pelos dois executivos como a principal bandeira da NEC e da NTT para os planos relacionados ao 5G. “Nesse e no próximo ano, estão sendo realizados testes em várias cidades do mundo sobre a efetividade das redes, com ganhos de desempenho nas arquiteturas e virtualização dos sistemas, mantendo, é claro, a segurança tecnológica, que é essencial para garantir a privacidade e a integridade dos dados”, completa Morita.    

Este texto é de autoria da jornalista Clezia Martins Gomes

Nova call-to-action

Assine aqui!