<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
25 fev 2021

Inteligência Artificial na personalização de serviços financeiros

O setor financeiro está mudando a uma velocidade vertiginosa. Com o surgimento dos bancos virtuais e plataformas de pagamento online, mais práticos e livres de comissões, a concorrência entre as instituições financeiras é cada vez mais agressiva. 

A corrida contra o tempo já não é para abrir novas contas, mas para manter as já existentes. A obsolescência das empresas tradicionais está diretamente ligada à sua difícil jornada rumo à virtualização e à incapacidade de oferecer a personalização que os clientes esperam, especialmente os mais jovens. Neste cenário quase apocalíptico, a implantação da Inteligência Artificial (IA) às rotinas financeiras pode ser a solução.

Os clientes já não buscam apenas a solidez e a fiabilidade ao escolher uma financeira. A velocidade com que tudo acontece em um mundo em crescente digitalização mudou a forma de interagir com o dinheiro. 

Logo, são necessárias instituições mais flexíveis, inteligentes, práticas, digitalmente seguras e orientadas a investimentos. Neste desafio, a Inteligência Artificial vem não apenas para renovar antigos produtos, mas para auxiliar as entidades financeiras no oferecimento de soluções inovadoras, capazes de satisfazer seus clientes a longo prazo, sem abrir mão da segurança..

Quando falamos em Inteligência Artificial, falamos de sistemas autônomos altamente segmentados, que são capazes de:

  • Analisar e prever fatos;
  • Formular processos;
  • Detectar problemas;
  • Encontrar soluções;
  • Tomar decisões.

Nos serviços financeiros, esta versatilidade trabalha em prol não apenas da instituição, mas especialmente do cliente, estabelecendo uma interação mais equitativa entre os interesses de ambos.

O que a Inteligência Artificial pode fazer pelas empresas financeiras?

Os bancos, que já começam a implantar a IA, estão aprendendo na prática como simplificar processos, resolver problemas e proteger a clientela dos riscos do mercado financeiro. 

Segundo a consultoria IDC, apenas em 2019, os bancos empregaram mais de US$ 5,6 bilhões na implementação de Inteligência Artificial em seus sistemas no mundo. Este grande investimento renderia ao setor bancário aproximadamente US$ 250 bilhões, segundo o McKinsey Global Institute.

O surpreendente, neste caso, é que o valor gerado pela Inteligência Artificial não se trata exclusivamente na geração de negócios e lucros, mas de uma redução expressiva do desperdício de dinheiro, tempo e recursos humanos em tarefas complexas, como a segurança digital, o gerenciamento de dados e as previsões de mercado.

Vejamos alguns exemplos de como a IA está atuando no setor financeiro:

Análise de crédito

O crédito abre portas para o cliente e garante lucros para as instituições financeiras. Ainda mais importantes são a agilidade na sua aprovação e a garantia de pagamento. As empresas financeiras habitualmente avaliam os riscos de crédito ou de negociações através de estatísticas que não oferecem a exatidão necessária.

Uma das dificuldades apresentadas por este tipo de análise é o levantamento de dados dos clientes mais jovens. Isso porque, normalmente, são desprestigiados por possuírem pouca ou nenhuma informação nos sistemas tradicionais. 

No entanto, com a Inteligência Artificial, esta parcela significativa do mercado atual pode ter seu crédito analisado com base em milhares de fontes alternativas, agilizando o processo e minimizando perdas e riscos.

Atendimento ao cliente

Tempos digitais pedem alternativas digitais. No caso dos serviços financeiros, os call centers e os SAC sempre foram alvo da insatisfação popular por seus longos tempos de espera, horários reduzidos e pela incapacidade de resolver um problema de maneira direta.

Segundo um estudo realizado pela Accenture em 2019, com base na opinião de 33 mil consumidores, mais da metade gostaria de usufruir de ferramentas que os ajudem a gerenciar seus orçamentos e proponham reajustes que sanem suas contas. Porém, o papel da Inteligência Artificial no suporte à clientela vai além da disponibilização de chatbots capazes de resolver dúvidas e oferecer conselhos financeiros em tempo real. 

Esta tecnologia é capaz de oferecer assistência integral ao consumidor seja qual for seu dilema! Ainda assim, o uso de IA não significa necessariamente substituir pessoas por máquinas. A colaboração entre ambos é perfeitamente possível. 

Há bancos que apostam pela Inteligência Artificial para analisar os padrões de sucesso de seus agentes, utilizando critérios como seus horários e zonas geográficas de maiores conversões para assim direcioná-los aos leads mais adequados, aumentando a probabilidade de fechar negócios.

A Inteligência Artificial também é capaz de criar fórmulas para soluções integradas de atendimento. Bancos como o japonês Sumitomo Mitsui Banking Corp, e empresas de grande porte, utilizam IA para analisar milhares de horas de atendimento telefônico. As conversas são utilizadas para identificar, categorizar e priorizar as questões mais frequentes e oferecer respostas imediatas, tão eficazes e naturais como uma ligação ao SAC a um preço extremamente reduzido. 

Análise de dados e identificação de oportunidades

A capacidade de análise da Inteligência Artificial não se limita ao atendimento. Sua habilidade para identificar padrões em um grande volume de dados também se adapta aos investimentos, como no caso do trading quantitativo. 

Os computadores baseados em IA podem analisar estes padrões de maneira imediata. Ainda, gerando algoritmos capazes de automatizar os processos de compra e venda de ativos.

Outra solução preditiva trazida pela IA é a análise de grandes quantidades de dados, palavras-chave, demonstrações financeiras e notícias. Assim, permite identificar variações e tendências no mercado. Os resultados podem inclusive organizar-se em um ranking, auxiliando brokers na escolha de investimentos mais seguros e lucrativos. 

Segurança contra fraudes 

Com a grande maioria das transações financeiras atuais ocorrendo via internet, a segurança digital se converte em uma questão prioritária para todas as instituições financeiras.

Nesse cenário, a Inteligência Artificial é capaz de detectar rapidamente atividades suspeitas, aplicativos maliciosos, e inclusive lavagem de dinheiro. Como resultado, 46% das instituições financeiras usam IA no combate à fraude, segundo um estudo da consultora Gartner. Além disso, os principais bancos estado-unidenses utilizam esta tecnologia para detectar fraudes em pedidos de crédito, suplantação de identidade e clonagem de dados financeiros.

Na Europa, bancos como o espanhol Bilbao Vizcaya, a utilizam para a abertura de contas bancárias virtuais através do reconhecimento facial e do acesso biométrico. Dessa forma, garante uma experiência bancária rápida, segura e sem contato, seja via dispositivos ou caixas eletrônicos.  

Além disso, a Inteligência Artificial é capaz de diferenciar as tentativas de acesso de clientes reais e as de bots. Quando detecta algo, logo acaba bloqueando os invasores e alertando os clientes sobre vulnerabilidades em suas senhas e dispositivos. Mas a blindagem não se detém em pequenas invasões, mesmo as mais sofisticadas são facilmente detectadas e coibidas. 

A Inteligência Artificial no Brasil

A implantação da Inteligência Artificial no Brasil aumentará a taxa composta anual de crescimento do país em mais de 7% até 2030, segundo uma simulação realizada pela consultoria DuckerFrontier

As empresas que já estão investindo nesta tecnologia começam a receber o retorno. É o caso do Bradesco, que se destaca através da BIA (Bradesco Inteligência Artificial), um projeto que em 3 anos revolucionou a maneira como o banco atende seus clientes, respondendo a mais de 100 milhões de interações, abrindo mais de 80 mil contas e incrementando a aprovação do seu suporte.

Como impulsionadora desta tecnologia em todo o mundo, a NEC vê o Brasil como um mercado promissor. Confira a intervenção do diretor de negócios da NEC no país, Wagner Coppede, sobre a Inteligência Artificial em um painel com algumas lideranças do país.

Nova call-to-action

Assine aqui!