<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
27 jan 2022

Datacenter Edge e infraestrutura de TI e telecomunicações: o ponto-chave para apoiar a expansão e garantir os benefícios do aplicativo

Especialista: Luis Noriega
Data Center Business Development na NEC

Por que o 5G irá revolucionar o mundo tal como o conhecemos? A quinta geração de redes móveis já começa a ser utilizada para trazer conectividade na América Latina

A tecnologia 5G possui três características fundamentais: velocidade, latência e velocidade. A velocidade é revolucionária, superando em muito a tecnologia anterior 4G, que podia chegar a 1.4 gigas no melhor dos cenários, sendo que a tecnologia 5G pode facilmente chegar a 20 gigas. 

Em outras palavras, com a tecnologia 5G pode-se, por exemplo, baixar um filme em alta resolução em apenas 10 segundos. Esta é uma forma objetiva de dimensionar a diferença do que se podia fazer com a tecnologia de 4G com o que se pode agora fazer com a tecnologia 5G.

Com as novas tendências de armazenamento de dados na nuvem ou híbrida, que depende muito de regulamentações e outros fatores, estando esses dados em um escritório ou em um datacenter em outro país, será possível acessar a eles sem uma diferença perceptível quanto à velocidade e com a mesma qualidade. Este seria o primeiro fator que o 5G vem revolucionar o mundo, a velocidade.

O segundo fator que o 5G vem revolucionar é latência que passa a ser imperceptível. Com o 4G o tempo de conexão é de 20 milissegundos, sendo que para o 5G esse tempo passa a ser de 1 milissegundo, ou seja, baixamos o tempo em vinte vezes, tornando-o imperceptível para o usuário.

Com isso temos um grande impacto positivo para desenvolvedores, gamers, usuários de alta demanda, as cidades digitais, ou cidades inteligentes, e outros que precisam de uma conexão rápida. 

E o terceiro fator é a densidade, a quantidade de dispositivos que poderemos ter conectados por quilômetro quadrado. Com a tecnologia 4G temos menos de 4 mil dispositivos por quilômetro quadrado, e com a tecnologia 5G poderemos ter em torno de um milhão de dispositivos conectados por quilômetro quadrado. Este fator é realmente uma revolução, pois aumenta amplamente a quantidade de dispositivos conectados.

Isto está relacionado também em como se fará a administração dessa grande quantidade de dispositivos conectados, como vamos trabalhar e gerenciar essa grande quantidade de dados, não apenas os grandes data centers, mas sim toda a cadeia, incluindo as informações geradas pelos dispositivos, sua velocidade superior a 20 gigas e em grande quantidade (devido à capacidade de se ter tantos dispositivos conectados por quilômetro quadrado).

Quais setores serão mais afetados?

Podemos dizer que o 5G é considerado um ponto de convergência tecnológica em que todos os setores serão beneficiados pela tecnologia de 5ª geração  (Indústria 4.0, Smart Cities, AR / VR, Inteligência Artificial, IoT, E-Health, etc). Todos vão convergir através dos fatores que foi falado amplamente e vai permitir que cada tenha seu próprio desenvolvimento.  Não podemos prever novas aplicações em cada setor, e isso é muito interessante, pois existirão desenvolvimentos específicos em cada um dos setores, como agronegócio, área médica, segurança, entretenimento, entre tantas outras, que se beneficiarão com a tecnologia de 5ª geração.

Como está sendo aplicada a tecnologia 5G na América Latina?

Tem sido acima de tudo de maneira lenta. Mais lenta do que se havia planejado há três ou quatro anos, e há vários fatores que influenciam na desaceleração da implantação desta tecnologia.  O primeiro e mais conhecido é a pandemia mundial que estamos vivendo, que na Europa já chega à 5ª onda, tendo complicado os planos de desenvolvimento da tecnologia, seja em laboratório ou na implementação. Este é o primeiro e importante fator. 

No Brasil já foram feitas licitações e se espera que para o ano de 2022 já se inicie as primeiras implantações.

Por outro lado, em outros países da América Latina, temos a recente implantação da tecnologia 4G. Também temos que considerar uma lacuna entre cidade e o campo que mostra um cenário complexo. Para solucionar isso, dependerá de cada país reduzir esses desafios, democratizando o acesso à tecnologia 5G.

Portanto, enquanto em alguns países ainda se está implementando redes de 4G, outros como o Chile ou Brasil não apenas já estão licitados, como também já estão prontos para comercializar planos da tecnologia 5G (em suas principais cidades).

Finalmente, se queremos ver o lado positivo da demora da implantação da nova tecnologia é que empresas estão aproveitando esse tempo de pandemia para trabalhar em seus laboratórios e fazer testes conceituais para garantir o perfeito funcionamento da tecnologia quando vier a ser amplamente implantada.

Subscreva aqui!