<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
28 jun 2022

A computação de alta performance como aceleradora da pesquisa e inovação científica no Brasil

Equipamentos de última geração ajudam a trazer performance e resultados para a pesquisa científica no país

Ao contrário do que muitos podem pensar, a pesquisa científica no Brasil é um segmento ativo e importante, que movimenta verbas significativas e produz conhecimento relevante em diversos campos. Em um estudo encomendado pelo Instituto ELDORADO e realizado pela Deloitte foi constatado que, em 2020, as instituições de ciência e tecnologia (ICTs) privadas do Brasil foram responsáveis por arrecadar R$24,7bi em receita, além de produzir R$6,2 bi em valor agregado e recolher R$5,9 bilhões em impostos. 

Em adição aos expressivos números financeiros, os ICTs tiveram participação no surgimento de mais de 500 startups de tecnologia e ciências, produziram centenas de papers e pesquisas de peso e registraram diversas novas patentes. Estes indicadores deixam clara a relevância destas instituições para todos mercados e, analogamente, mostram como é importante o desenvolvimento de tecnologias e soluções para este setor.

Acelerando a ciência

Com toda a geração de informação e os impactos mercadológicos, é fato que os ICTs podem acelerar a produção científica por meio da adoção de tecnologias especializadas. Com a transformação digital, a quantidade de ferramentas e soluções disponíveis é grande e tende a continuar crescendo, atendendo às mais amplas e diversas necessidades dos centros de pesquisa. Mesmo assim, é possível destacar alguns recursos  especialmente úteis para todas as linhas de pesquisa e perfis de organizações. Reunimos aqui as quatro mais importantes no momento atual:

  • Automação com base em IA

A inteligência artificial vem ganhando aplicações variadas como bens de consumo e jogos, passando por automação industrial e até segurança digital. Por meio da IA, as organizações científicas conseguem automatizar uma série de atividades, otimizar processos de análise e testagem, prever resultados e tornar toda a pesquisa mais eficaz. Isso se traduz em mais descobertas, conhecimentos para a sociedade e novos produtos e patentes em vários mercados.

  • Computação de alta performance (HPC)

Um fator que está potencialmente ligado à IA e outras importantes ferramentas, a computação de alta performance é indispensável para a ciência atual. Com estações e clusters munidos de processadores avançados, os ICTs contam com a capacidade de realizar simulações e testes complexos, que trazem mais precisão para a pesquisa e aceleram a obtenção de resultados significativos.

Com este  tipo de equipamento os pesquisadores conseguem processar uma grande quantidade de dados com alta agilidade e precisão, o que reduz a quantidade de erros e ajuda a enxergar caminhos mais promissores, tornando o processo científico mais eficiente.

  • Machine learning

Um recurso em alta em por sua capacidade de otimizar processos e atividades das organizações, o machine learning também tem grandes impactos na ciência. Por meio deste recurso, os sistemas dos ICTs podem acumular conhecimentos, criando sinergia entre os diversos ensaios e testes realizados, assim como dados externos, gerando um grande volume de informações, porém efetivamente cruciais para a aceleração da pesquisa.

  • Big Data e Analytics

Esta tecnologia está frequentemente associada à IA e à HPC e pode ser um diferencial importante para melhorar a performance do trabalho dos pesquisadores em centros de pesquisa. Com estes recursos, a análise e validação de dados obtidos nos mais variados contextos são reduzidos, ajudando a validar teorias e teses com mais precisão e maior grau de confiabilidade.

Computação avançada como fator decisivo para uma ciência mais forte

Dentre os fatores citados que podem influenciar de forma positiva o trabalho de cientistas, é fato que a High Performance Computing está na base de quase todos eles. Além dos benefícios já comentados, vale apontar a questão da redução do tempo de processamento em cenários complexos, tornando a obtenção de respostas mais rápida e consistente. E mais do que isso, a HPC permite até mesmo a simulação em tempo real de diversas situações e contextos, algo que pode ajudar a gerar conhecimentos importantes em diversos segmentos da ciência, contribuindo para a tomada de decisões e utilização de recursos de forma mais assertiva e otimizada.

Um exemplo de aplicação fundamental da HPC é o campo das pesquisas climáticas, e ambientais, na medida que traz visibilidade detalhada e em tempo real dos fenômenos. Isso auxilia na tomada de decisões precisas e rápidas, ajudando a preservar vidas em casos de desastres naturais e permitindo prever a evolução de questões como desmatamento, queimadas e outros problemas.

Some-se a isso as pesquisas em áreas como medicina, farmácia ou genética e fica claro o quanto a tecnologia pode ajudar a revolucionar a ciência e trazer importantes descobertas para a sociedade. É pensando na importância deste segmento que a NEC desenvolve soluções como o NEC SX Aurora TSUBASA, um servidor HPC escalável, de arquitetura híbrida e projetado para altíssimo desempenho, ideal para pesquisa avançada em ICTs dos mais amplos segmentos. Conheça mais sobre este tema e veja como ele pode ajudar a elevar a performance da pesquisa científica no Brasil, acelerando a geração de conhecimento e inovação para o benefício de toda a sociedade.

Assine aqui!