<img height="1" width="1" src="https://www.facebook.com/tr?id=1902477713099717&amp;ev=PageView &amp;noscript=1">
Tempo de leitura 2min
NEC
26 ago 2021

Como criar um ambiente de colaboração em que o 5G seja usado em seu máximo potencial

Já é de conhecimento que a tecnologia 5G irá apoiar e habilitar muitas soluções que hoje estão em um plano inicial ou apenas como tendência. No entanto, para que isso ocorra no universo empresarial, é fundamental que as organizações criem um ambiente colaborativo para que todo o emaranhado de recursos converse entre si e funcione corretamente. 

Nesse contexto, à medida que as tecnologias de conectividade continuam a evoluir e novas aplicações são desenvolvidas, o volume de dados gerados, coletados e enviados através das redes cresce significativamente. Para acompanhar esta tendência, as empresas devem ter uma infraestrutura corporativa e de TI que ofereçam suporte à confiabilidade e velocidade necessárias para sustentar estas novas ferramentas. 

 

Como as empresas podem construir um ambiente colaborativo com 5G

Com o uso da rede móvel 5G, setores de indústrias, telecomunicações, bens de consumo, energia, entre outras, terão um ambiente ainda mais rico com a coleta e análise de informações em tempo real. 

Podemos dizer, inclusive, que o maior beneficiado pela quinta geração de internet não será o usuário final de smartphone, mas sim empresas e governos que irão aplicar de fato soluções de IoT, big data, IA e muitas outras.

Afinal, como estruturar uma organização para aproveitar todo o potencial de um ambiente colaborativo com 5G? Veja alguns passos a seguir:

- Orçamento de investimento: inicialmente, os investimentos em hardware necessários para aproveitar os benefícios do 5G serão mais altos do que o 4G. Portanto, é necessário se preparar para quando o momento chegar, de forma com que o negócio esteja bem equipado com a tecnologia correta assim que a solução for totalmente lançada. Vale frisar que, os avanços tecnológicos proporcionados demonstram sua necessidade: o futuro está aqui, e não o abraçar significa perder competitividade.

- Planejamento das soluções atuais e futuras: as organizações precisam se planejar para a nova onda de automação e inteligência artificial. Maiores bandas e menores latências proporcionarão novas oportunidades para que elas aproveitem os benefícios em suas operações, mas para isso é preciso tanto analisar os sistemas legados com o objetivo de definir quais deles continuarão a serem usados, bem como verificar quais recursos deverão ser adotados para a nova conectividade;

- Educação dos funcionários: gestores e colaboradores precisam ter uma compreensão sólida do que é 5G, de modo a se conscientizarem sobre sua importância, os impactos nos processos e como a adoção da tecnologia irá apoiar as empresas a atingirem suas metas neste novo ambiente;

- Uso de hardwares avançados: a rede 5G é adequada para vários mercados e aplicações. A utilização de sistemas com sistemas de antena ativa (AAS - Active Antenna System), que evolui o conceito de cabeça de rádio remota integrando em uma única e compacta unidade a unidade de rádio e  a antena. Essa integração ajuda atender aos desafios 5G de capacidade aprimorada, usando diversidade de espaço e implementando tecnologia MIMO massiva (mMIMO);

- Priorização da segurança: o 5G vai explodir o uso dos endereços IPv6 para objetos conectados e, com isso, a internet das coisas (IoT) vai crescer mais ainda. Apesar dos benefícios, a resposta dos cibercriminosos será imediata, o que gerará muitos problemas de segurança se as empresas não estiverem preparadas.  Além disso, com a adoção do 5G e a alocação de conteúdo cada vez mais próximo do consumidor, o cloud computing terá papel estratégico, sendo que os ambientes de cloud, seja ela privada, pública ou híbrida, precisam estar devidamente protegidos contra ataques. 

A criação de um ambiente colaborativo com 5G passa pelo desenvolvimento e entendimento das funções e objetivos do negócio. Ao contar com uma rede mais rápida, com menor latência e maior capacidade de transferir grandes volumes de dados, as organizações passam a encontrar uma maneira altamente positiva de integrar inovações a esta tecnologia, independentemente de qual seja.

Nova call-to-action

Subscreva aqui!